Como Conciliar Nomadismo + Trabalho + Dia-a-Dia

Eu vivo como nômade digital há cerca de um ano e meio, pra lá e pra cá com um monte de coisas relacionadas a passagens de avião, trabalhar de cafés ou mesmo viver e viajar com um parceiro quando os dois trabalham de casa, então acredito que seria melhor começar este artigo dizendo: não há como encontrar o equilíbrio.

Brincadeira! Às vezes existe, mas nem sempre.

Vamos começar dizendo que se você não tem disciplina para trabalhar sozinho na cidade em que você está atualmente, não há lugar no mundo que conserte isso para você. Não viaje para escapar das coisas pelas quais você está passando, porque essas coisas estarão na sua mente, e uma bela viagem com seu laptop para Londres será apenas uma viagem de merda (e super cara) para Londres com seu laptop porque sua cabeça precisa de ajustes no momento.

Depois que eu criei uma rotina com algumas tarefas não negociáveis como meditação, tempo de leitura no meu Kindle e começar o dia apenas assistindo a algum vídeo feliz ou pelo menos não negativo enquanto tomo uma xícara de chá, tudo ficou bem mais fácil gerir. Trabalhando em casa é muito importante entender em qual período do dia você é mais produtivo, concentrando sua energia máxima em coisas que exigem muito do seu cérebro - no meu caso, esboçar ou escrever (como este artigo sendo escrito as 11 horas da manhã por exemplo), e trabalho vectorial e gerenciamento de projetos na parte da tarde. MAS como minha rotina também envolve viagens, quando eu realmente preciso me concentrar durante a tarde em algo que está sendo adiado muito, eu costumo ir a uma lanchonete e minha produtividade aumenta assim:

Não exatamente 18 xícaras de cappuccino como Barney, porque com apenas uma todo o meu corpo passa uma tarde inteira tremendo.

É mais difícil definir uma rotina quando você já está viajando, você precisa entender como gosta de trabalhar mais e ser flexível para tirar um dia de folga no meio da semana para visitar algum lugar porque o tempo lá fora está ensolarado, por exemplo. Ser um nômade é principalmente trabalhar quando todos estão se divertindo e se divertir quando todo mundo está trabalhando. Não é sobre ir à praia com seu laptop porque, veja bem, ele vai ficar lotado de areia. É sobre entender que talvez uma parte da cidade que você queira ver esteja cheia de turistas no fim de semana então você pode tirar uma folga no meio da semana, ou para visitar aquele museu caro que tem entrada gratuita numa terça-feira e uma fila enorme durante os fins de semana.

Ok, mas e quanto ao seu relacionamento?

O principal é: vocês dois ficarão sozinhos constantemente, então, antes de morarem juntos e viajarem juntos, é melhor dar um passo de cada vez. Morem juntos primeiro, pra que você possa ver - sem gastar uma quantia enorme de dinheiro pra começar a viajar - se vocês vão se agarrar pelo pescoço ou não. No meu caso, eu me mudei com meu parceiro depois de 4 anos de relacionamento (com ambos trabalhando em casa), e não trabalhávamos na mesma sala, então nós dois tínhamos nosso tempo sozinhos. Foi difícil porque eu nunca tinha morado longe da casa dos meus pais antes, mas deu certo.

Quando começamos a viajar (janeiro de 2017), tínhamos essa restrição de que não podíamos trabalhar na mesma mesa - o que foi difícil, porque a maioria dos Airbnbs tem apenas uma mesa e precisávamos de dois. Mas foi escolhendo nossa casa em Praga (pro mês de outubro), que notamos que as casas com duas mesas eram muito caras pro nosso orçamento, então assumimos o desafio de trabalhar no mesmo lugar, de frente um pro outro, e funcionou muito bem. Tanto que no mês seguinte (Viena, dezembro de 2017) escolhemos uma casa com duas mesas, mas decidimos dividir a maior. É tudo sobre conversar e fazer o melhor para AMBOS, com flexibilidade.

Agora, estar juntos 24/7 não é fácil. Eu vi casais que, depois de passarem tanto tempo juntos, sentiram que perderam a individualidade, e não sabiam onde a personalidade de um começava e a do outro acabava, terminando depois de anos de relacionamento. Também vi um casal que passa um mês por ano em cidades separadas para ficarem sozinhos por um tempo, e está funcionando muito bem. No meu caso, nós fazemos um monte de coisas juntos, mas também temos nosso tempo privado. Fazer terapia ajuda MUITO a entender o que te faz você, e como sua personalidade pode se somar a do outro, com o seu jeito de ser. E quando se trata de trabalhar, eu deixo meu parceiro na bolha quando ele precisa, como ele também me respeita quando eu preciso.

Viajar enquanto trabalha não é nada fácil. Requer muito planejamento, gerenciamento de dinheiro e não é emocionante o tempo todo. É doloroso estar fora do seu país por 1 ano e quando você volta, percebe que seu pai ganhou alguns cabelos brancos adicionais, suas vovós estão bem mais velhas, seu primo terá um bebê e você provavelmente não vai estar lá quando ele ou ela chegar. Mas é uma escolha que você faz, e pelo menos para mim, não vai durar para sempre, então eu compenso convidando todos os meus parentes e amigos próximos a me visitar na cidade onde estou no momento e também uso a tecnologia como uma vantagem, com mensagens e chamadas de video.

Tradução e Revisão: Mari Pinheiro